little monkey

elstel.org

by Elmar Stellnberger

Sobre o Leite como um comestível

Categoria: general,
Origem: info,
Ligação: https://tvthek.orf.at,
Língua: pt,
Tipo:
new
.
Não é somente um alto consumo de carne que é mal para o clima, o meio ambiente e a saúde, mas tambêm um alto consumo de laticínios. O problema principal é a produção industrial em grandes quantidades. Enquanto uma vaca normalmente come 100% ervas, na produção industrial são alimentados por silagem com um conteudo de dois terços de produtos agrícolas que normalmente chegam a ficar soja do ultramar geneticamente modificada. Faz desmatamento em grande escala (áreas de forragem informales). O conteúdo de proteína sobrenatural na forragem faz um alto conteúdo de nitrogéno no estrume contaminando o lençol de água. Nitrato é metabolizado a nitrito carcinogênico no corpo humano. O nitrogéno tambêm evae-se na forma de gás hilariante (óxido de nitrogênio) que é um gas de efeito estuda potente. Se a vaca pasce numa pastagem alpina então o leite conte ácidos gordos mais sanos quando que pasce numa pastagem sobreestrumado e monótono. O contribuinte da UE paga com fomentos para a quantidade do leite producido. O excesso do leite e secado em pó do leite e exportado para Africa onde estraga os mercados. No entanto pequenos agricultores locais seriam necessários para a segurança alimentar. Todavia o leite não é tão sano como a indústria de leite quer sugerir-nos, pelo menos equanto consume-se muito. O leite promove o crescimento do bezerro e acelera a divisão celular. No entanto para um indivíduo adulto, isso é indesejável. Os cientistas acreditam que isso pode promover câncer. Há melhores provas disponíveis para isso com o câncer de próstata. No entanto também pode afetar outros tipos de câncer (jornal mundial 2021-11-03). Os países com maior consumo de leite são justamente os países com mais fraturas ósseas (estatísticas com 300.000 homens, mulheres e adolescentes). Uma possível causa para isso pode ser que o leite contém uma grande quantidade de cálcio, mas também contém fósforo que impede a reabsorção do cálcio. Algumas bebidas como cola contêm apenas fósforo (cola osteoporose). Um treinamento regular melhora a densidade dos ossos.



O Zero Líquido: nada mais do que uma Mentira

Categoria: general,
Origem: info,
Língua: pt,
Tipo:
new
.
Hoje li no Salzburger Nachrichten como citam o New Climate Institute (Novo Instituto de Clima): Enquanto queremos alcançar a meta de 1.5° deve-se pôr-se de acordo com o artigo 6, que é de “carbon offsetting”. Um crédito de compensação de carbono (carbon offset credit) é algo onde um país desenvolvido financia reduções de gas de efeito estufa (GEE) em um país subdesenvolvido mas registra as reduções para si mesmo. A problema disso é que as emissões continuam inalterado no país desenvolvido. No balanço contudo as emissoẽs estão deslocadas ao país subdesenvolvido e ficam lá enquanto não subtrae-se os dois vezes. Até mesmo enquanto o país subdesenvolvido pode salvar 100% dos seus emissões de GEE, ficam as emissões vendidas no seu balanço. Para livrar-se dessas emissões este país deberia que vendê-os a um outro páis em turno até o gato morde o seu mesmo rabo. Então os palavras do zero líquido são nada mais do que uma grande mentira. Não vai-se alcançar o zero líquido ninguna vez. Isso ai de emissões que ninguna vez podem ser salvadas nada mais. Pior ainda muitos destes projetos vendidos são projetos que se realizaria de qualquer jeito ou projetos que não salvam nenhuns emissões. Com projetos de conservação povos indígenas ficam desalojados, só para registrar reduções de emissões no Norte. Na realidade esses projetos destroem o clima e o meio ambiente porque abriga-se as matas optimo onde povos indígenas ficam nas suas terras. Tambêm recomendamos você a ler o que o Greenpeace escribe do assunto. Voltamos para o New Climate Institute. Dicem que são dirigidos por seis parceiros mas não dizem quem é, nem como são financiados. Não respondem a chamadas telefónicas, nem têm respondido a um correio electrónico de mim até agora. O progresso real seja, se os COP26 rejetariam o artigo 6 e implementem um zero real em vez de um zero líquido.



Traduções em espanhol e português

Categoria: general,
Origem: article,
Língua: pt,
Tipo:
update
.
Eu traduzi o artigo de efeito de estufa, nível do mar e aquecimento global. Foi um dos primeiros artigos que foram online no Elstel 2009. A tradução é também alguns anos velha e completamente feito à mão, mas o autor corrigiu-a novamente antes de publicar. Naquele tempo eu não a publiquei porque queria um leitor nativo para corrigir (que eu nunca fiquei com). Além disso, agora traduzi completamente a contribuição sobre mobilidade de hidrogênio (veja a mensagem anterior).



COP26: Fazer NDCs comparáveis

Categoria: general,
Origem: info,
Língua: pt,
Tipo:
new
.
Nós tentavamos tornar os NDCs (obrigações nacionais de reduzir as emissões) dos principais emissores nesta ordem 1:China, 2:EUA, 3:Índia, 4:UE-28 comparáveis. Os -50% dos EUA não podem ser diretamente comparados com o -55% da UE como os EUA calcula com um ano a base de altas emissões que é 2005 e a UE com um ano anterior de baixas emissões que é 1990. Joe Biden possa fazer mais. Tempo e novamente ouvimos de manifestantes contra areias de alcatrão e infra-estrutura de gás de fraturamento hidráulico a ficar presos. As areias de alcatrão são os combustíveis fósseis mais sujos e serem abandonados imediatamente. A meta da China de -65%/2005 em relação ao PIB (produto interno bruto) até 2030 é ambicioso no entanto que saia de uma base alta. Como o alvo varia no nível de crescimento econômico futuro, é bastante difícil dizer como se refere ao alvo da UE de -55%. A -33% do GDP/2005 da Índia são menos ambiciosos. Por causa do crescimento econômico, as reduções são realmente menos do que parece ser. Achamos que Narendra Modi poderia fazer mais. A Índia está planejando expandir sua mineração de carvão em 37% até 2024 porque a demanda da Índia por carvão é realmente maior do que pode ser importado. Um artigo no Guardian diz que a Índia não precisaria enfrentar uma escassez de energia se tivesse investido mais em energias renováveis. Vamos atualizar nossos cálculos aqui quando tivermos dados novos ou melhores.



COP26 proteção das florestas: apenas ar quente!

Categoria: general,
Origem: info,
Língua: pt,
Tipo:
update
.
Líderes como Xi Jinping, Jair Bolsonaro e Joe Biden apresentaram um novo acordo para deter e reverter o desmatamento até 2030. Principais países florestais como o Brasil, a República Democrática do Congo e a Papua Nova Guiné, todos assinarão o comprometimento. Infelizmente, permitirá outra década de destruição florestal! Isso é demais. A Amazônia já está à beira e não pode sobreviver mais anos de desmatamento. Os povos indígenas estão pedindo 80% da Amazônia a serem protegidos até 2025. Caso contrário, o resto da Amazônia poderia se voltar em savana. Há também pouca chance que Bolsonaro vai obedecer mesmo a este Acordo que é inteiramente voluntário. A Declaração de Nova Iorque de 2014 também não foi respeitada. Teria exigido um fim de desmatamento em cadeias de fornecimento até 2020. Bolsonaro ainda está preparando um novo pacote de lei que incentivar o desmatamento. Com a falta de ação para reduzir a demanda por carne industrial e laticínios, não há nenhuma possílidade para uma proteção florestal que seja eficaz! É por isso que ainda precisamos da lei européia de proteção florestal.
link principal: sucesso contra o desmatamento na Indonésia e na Malásia / veja também a declaração do Greenpeace
NRDC: What is happening at COP26?