little monkey

elstel.org

by Elmar Stellnberger

Assange ainda esta Preso por extradição aos EUA

Categoria: general,
Origem: info,
Língua: pt,
Tipo:
update
.
Julian Assange ainda esta preso sob condições desumanas na prisão de Belmarsh. Diretamente antes da cúpula da COP26 as negociações de extradição deveriam ter lugado, mas foram atrasadas: “Temos muito para pensar.”. Se a vida dele esta sob perigo nos EUA, não deber-se-ia extradito, independente por causa de qual, se por causa da saúde ou por causa dum assassinato panejado pela CIA. O tribunal nem ao menos pôs em dúvida que houve uma conspiração de assassinato contra Assange. Havia bastante razão para libertar Assange de imediato, também pois sabe-se que acusações claves contra ele são fraudulentas. O procedimento da justiça aparece parcial e carece de qualquer justificação.



Novo PAC / ICE para abelhas / Glifosfato

Categoria: general,
Origem: info,
Língua: pt,
Tipo:
update
.
Mesmo a recém-revisada PAC não atenderá às altas metas do European Green Deal (EGD). O EGD requer uma redução das perdas de nutrientes em 50% como aqueles que infiltram-se para as águas subterrâneas, o que equivaleria a uma redção de 20% no uso de fertilizantes. No entanto uma continuada promoção de capacidades estábulos contradiz isso em vez de requerer mais da agricultura extensiva de pastagens. Uma respectiva redução no uso de fertilizantes minerais também seria necessária. A Alemanha quer vincular gados à área agrícola. Cumprir uma meta de redução de 50% no uso de pesticidas exigiria uma respectiva campanha de informação e educação, bem como impostos sobre o uso de pesticidas. Os 1,1 milhão de assinaturas da abelha ICE (Iniciativa de Cidadania Europeia) exigem uma redução de 80% até 2030 e 100% até 2035, o que também fazeria com salvar a biodiversidade (1). Nem mesmo a proibição do glifosfato até 2022 está pendente. De acordo com cientistas renomados 18 estudos em uso continuam a não ser sólidos, 15 parcialmente sólidos e apenas dois totalmente sólidos (2). Isso embora tem um ICE bem-sucedido para revelar estudos secretos, pagos da industria, de modo que seja possível mostrar o quão defeituosos eles são. No entanto a PAC faz com a meta de ter 10% da terra para a natureza. Enquanto a Alemanha quer 30% na agricultura biológica, a PAC exigirá 25%.



Proposta legal da UE deve parar o desmatamento

Categoria: general,
Origem: info,
Língua: pt,
Tipo:
update
.

Produtos ligados ao dematamento como carne bovina, óleo de palma e cacau dever ser proibidos de entrar na União Europeia por uma proposta legal histórica. No entanto, ainda deixa de fora a proteção de ecossistemas frágeis, como a savana do Cerrado no Brasil e os pântanos no sudeste da Ásia, argumenta el director do Mighty Earth Europe. A proposta atual também não se aplica à borracha. Para combater o desmatamento com sucesso os principais mercados como a China e os EUA precisariam seguir o exemplo e limpiar sua cadeia de suprimentos. Entre 1990 e 2008 o consumo da UE levou a 10% do desmatamento global.

A Alemanha decidiu eliminar o óleo de palma nos agrocombustíveis até 2023. Esta foi uma decisão atrasada. A França eliminou o óleo de palma dos biocombustíveis em 2020 e a Áustria em julho de 2021. No entanto, tanto quanto conhecido uso de óleo de palma em usinas de energia não está incluído na nova decisão, nem óleo de palma como parte de óleo para fritar (veja salveaselva.org).




COP26 Final declaration

Categoria: general,
Origem: info,
Língua: en,
Tipo:
new
.
In times of the COP21, Paris we could download and read the final declaration directly from the conference website. Things have become more complicated by the time. Currently a draft can be downloaded at:

Note that the draft still shows 'phase-out' of coal, though the final agreement was to 'phase-down' coal. In the following we cite from the first of these documents:

IV. Mitigation
16. Recognizes that the impacts of climate change will be much lower at the temperature increase of 1.5°C compared with 2°C, and resolves to pursue efforts to limit the temperature increase to 1.5°C;
17. Also recognizes that limiting global warming to 1.5°C requires rapid, deep and sustained reductions in global greenhouse gas emissions, including reducing global carbon dioxide emissions by 45 per cent by 2030 relative to the 2010 level and to net zero around mid-century, as well as deep reductions in other greenhouse gases;

19. Invites Parties to consider further actions to reduce by 2030 non-carbon dioxide greenhouse gas emissions, including methane;
20. Calls upon Parties to accelerate the development, deployment and dissemination of technologies, and the adoption of policies, to transition towards low-emission energy systems, including by rapidly scaling up the deployment of clean power generation and energy efficiency measures, including accelerating efforts towards the phase-out of unabated coal power and inefficient fossil fuel subsidies, recognizing the need for support towards a just transition;
21. Emphasizes the importance of protecting, conserving and restoring nature and ecosystems, including forests and other terrestrial and marine ecosystems, to achieve the long-term global goal of the Convention by acting as sinks and reservoirs of greenhouse gases and protecting biodiversity, while ensuring social and environmental safeguards;



COP26 terminada

Categoria: general,
Origem: info,
Língua: pt,
Tipo:
new
.

Como se sabe, a declaração final inicialmente forte da COP26 foi diluída no último minuto. Alguns países, segundo ouviram na conferência o foram Índia, China, Austrália e os EUA, inseriram 'ineficiente' e acrescentaram 'unabated' à “eliminação progressiva ('phase-out') da energia de carvão 'unabated' e subsídios aos combustíveis fósseis ineficientes”. “unabated” significa “não reduzido”. A palavra 'ineficiente' a “subsídios aos combustíveis fósseis” torna a afirmação um tanto inútil. Quando são ineficientes? Se não destruirem o clima eficientemente. Finalmente, a Índia fez lobby para transformar a eliminação progressive (“phase-out”) em redução gradual (“phase-down”). Ou seja, nenhuma saída do carvão, mas apenas uma redução. Isso é realmente lamentável, embora também queiramos afirmar o que é positivo sobre o resultado. É a primeira vez que uma saída de carvão é mencionada, conforme discutido pela primeira vez na primeira COP em Berlim, 1995, mas lobbyado da fora então. A meta de 1,5°C foi promovida acima de 2°C. A proteção da natureza e dos ecossistemas foi mencionada pela primeira vez devido à sua importância como sumidouros de carvão.

O Artigo 6 / Offsetting foi detalhado. O sistema de Cap-and-Trade não pode impedir efetivamente a destruição das florestas nem reduzir as emissões nos países ricos. Bolsonaro quer reduzir o desmatamento ilegal, tornando-o legal. Achamos que o Offsetting só pode ajudar com as reduções no curto prazo; no longo prazo, algo diferente deve ser planejado, pois daqui efetivamente impede o alcance de emissões zero.

Além de novos comprometimentos de redução, a cúpula da COP26 trouxe várias iniciativas. Uma deles é o comprometimento de redução do metano, iniciado pela UE e pelos EUA. Índia, China e Rússia não gostaram aderir. No entanto, uma redução do metano e de outros GEEs chegou à declaração final. Também consideramos muito importante a anunciada cooperação entre os EUA e a China; sem esses dois países, a luta contra as mudanças climáticas não pode ser ganhada. Já mencionamos a iniciativa florestal; é fundamental que países como o Brasil e a Indonésia tenham aderido, embora o segundo quisesse renunciar. A coalizão de 450 bancos e fundos que representam 40% da riqueza global denominada “Glasgow Financial Alliance for Net Zero” tem uma grande influência em suas mãos. No entanto, suas promessas não são vinculativas em contraste com as feitas pelos estados.

Todos os comprometimentos feitos até agora seriam suficientes para uma redução para 1,8°C. No entanto, isso exigiria uma mudança radical na política; no momento estamos caminhando para um aquecimento de 2,7°C; as emissões ainda estão aumentando. Para fortalecer os seus compromissos, os países concordaram em se reunir novamente no final do próximo ano. Os comprometimentos de muitos países ainda não estão de acordo com a meta de 1,5°C. Com relação ao aquecimento global, cada décimo grau será decisivo.